Vídeoaulas: veja como elas podem te ajudar a obter sua certificação

Compartilhe e ajude uma pessoa!

As vídeoaulas tornaram-se uma parte importante do método de aprendizagem. Sendo integradas como parte dos cursos tradicionais, serve como base de muitos cursos combinados, e é frequentemente o principal mecanismo de entrega de informações.

Assim sendo, várias meta-análises mostraram que a tecnologia pode melhorar o aprendizado. Além disso, vários estudos comprovaram que as vídeoaulas, especificamente, podem ser uma ferramenta educacional altamente eficaz.

Portanto, nos últimos anos, as vídeoaulas estão sendo amplamente usadas​por estudantes para ajudar a aprender o material mais rápido do que nunca.

Logo, pesquisas mostram que 94% dos professores utilizaram efetivamente vídeos durante o ano acadêmico e descobriram que o aprendizado por eles é bastante eficaz. É até melhor do que ensinar os alunos por meio de livros didáticos tradicionais.

Além disso, estudos mostraram que o uso de vídeoaulas permite um processamento mais eficiente e um recall de memória. Isso porque a natureza visual e auditiva dos vídeos atrai um público amplo e permite que cada usuário processe as informações de maneira natural.

Vantagens em relação aos livros e apostilas

Em suma, vídeoaulas criam uma experiência sensorial mais envolvente do que o uso de materiais de impressão.

Os estudantes realmente conseguem ver e ouvir o conceito sendo ensinado e podem processá-lo da mesma maneira que processam suas interações cotidianas.

Portanto elas fornecem um recurso prático que pode ser assistido de qualquer lugar com uma conexão à Internet. Elas são acessíveis em vários dispositivos, incluindo laptops, tablets e smartphones. Isso permite a visualização na conveniência do aluno e de onde quer que ele esteja.

Outra grande vantagem é que as vídeoaulas aumentam a retenção de conhecimento, pois podem ser interrompidas e reproduzidas quantas vezes forem necessárias. Elas também podem ser revisadas ​​por muito tempo depois que a lição inicial foi ensinada.

Dessa forma, a ferramenta ajuda bastante na aprendizagem de todos os assuntos, mas particularmente aqueles tópicos que são complexos e / ou altamente visuais (como procedimentos passo a passo ou fórmulas científicas e matemáticas).

As vídeoaulas ainda aumentam a proficiência em letramento digital e comunicação, que são importantes habilidades do século XXI.

Memória: confira como é o impacto das vídeoaulas 

Uma das principais considerações ao construir materiais educacionais, incluindo vídeoaulas, é a carga cognitiva. A teoria da carga cognitiva sugere que a memória tem vários componentes.

Assim sendo a memória sensorial é transitória, coletando informações do ambiente.

Por isso as informações da memória sensorial podem ser selecionadas para armazenamento temporário e processamento na memória de trabalho, que possui capacidade muito limitada.

Esse mesmo processamento é um pré-requisito para a codificação na memória de longo prazo, que possui capacidade virtualmente ilimitada.

Mas como a memória de trabalho é muito limitada, o aluno deve ser seletivo sobre quais informações da memória sensorial deve prestar atenção durante o processo de aprendizagem. Esta é uma observação que tem importantes implicações na criação de materiais educacionais.

Veja a teoria cognitiva da aprendizagem multimédia

A Teoria Cognitiva da Aprendizagem Multimédia baseia-se na Teoria da Carga Cognitiva, observando que a memória de trabalho possui dois canais para aquisição e processamento de informação: um canal visual / pictórico e um canal de processamento auditivo / verbal.

Conheça mais sobre a Teoria da Carga Cognitiva clicando aqui: http://www.helioteixeira.org/ciencias-da-aprendizagem/teoria-do-esforco-cognitivo/.

Embora cada canal tenha capacidade limitada, o uso dos dois pode facilitar a integração de novas informações nas estruturas cognitivas existentes.

Portanto, usando ambos os canais, a capacidade da memória de trabalho é maximizada – mas qualquer dos canais pode ser sobrecarregado pela alta carga cognitiva.

Assim, as estratégias que gerenciam a carga cognitiva de ambos os canais em materiais multimídia prometem melhorar o aprendizado. Além dos dois principais pressupostos do processamento de canal duplo e capacidade de memória de trabalho limitada.

Informação visual e a retenção de informações

A maior parte do cérebro humano é dedicada ao processamento da informação visual. O cérebro rápido ao visual, melhor que texto ou qualquer outro tipo de material de aprendizagem.

Lembrando que as imagens são retidas na mente por um longo tempo. Através dos vídeos, os alunos processam informações rapidamente.

Isso porque os tutoriais em vídeo oferecem uma experiência multidimensional que pode combinar gráficos, slides, fotos, gráficos, narração, capturas de tela, legendas na tela, música e vídeo ao vivo.

Isso permite que quem esteja assistindo, com diferentes habilidades de aprendizado, retenha informações em um método mais adequado.

É por isso que quanto mais ferramentas forem utilizadas em uma vídeoaula, mais maneiras o aluno terá de focar, compreender e reter as informações.

Muitos desses recursos multimídia podem ser muito complexos ou demorados para serem usados ​​regularmente em um ambiente de sala de aula física e impossíveis em papéis.

O autoestudo traz resultados frutíferos  

Através de vídeoaulas qualquer pessoa pode fazer autoestudo. Os vídeos, áudios e webinars ajudam os alunos a aprender algo para o qual um professor seria solicitado de outra forma.

A melhor parte é que essa técnica deixa um forte impacto no cérebro, o que pode até ser melhor do que ler a mesma lição de um livro.

Mais uma observação quanto à vantagem das vídeoaulas é a capacidade de pausar, retroceder, parar e reproduzir um vídeo em vídeoaulas. Portanto, leia mais sobre estudos online clicando aqui: http://blog.hygorduarte.com.br/6-dicas-para-aproveitar-melhor-os-estudos-online/.

Isso o ajuda a reproduzir pontos importantes que precisam ser lembrados, o que é essencial para a retenção da memória na preparação para os exames.

Em uma sala de aula ao vivo, é fácil perder o que o instrutor diz a qualquer momento, mas com um tutorial em vídeo, as notas podem ser checadas quanto à precisão.

Uma lição em formato de vídeo permite que os alunos se concentrem em segmentos específicos, além de reproduzir as informações em sua totalidade.

Interatividade das vídeoaulas

Algumas vídeoaulas permitem interação, como lições de software. Elas fornecem uma abordagem prática que pode ajudar a reforçar as informações.

Em vez de apenas ouvir ou ver as informações, o aluno pode responder a solicitações usando teclado e mouse para responder a perguntas ou acessar recursos extras de aprendizado.

A mentoria também é um diferencial dos estudos, como você pode ver melhor clicando aqui: http://blog.hygorduarte.com.br/entre-na-mentoria-e-melhore-seus-estudos/.

Desse modo, usando esses recursos interativos, os alunos podem se beneficiar ao serem apresentados às novas tecnologias.

Outro tipo de interatividade envolve comunicação bidirecional que pode ocorrer entre alunos e um professor de vídeo se o vídeo for transmitido ao vivo, mesmo que eles estejam em diferentes locais físicos – por meio de webcams.

Em resumo, você já sabe que as vídeoaulas são ferramentas poderosas para tornar o seu estudo mais frutífero, divertido e eficaz. É por isso que a maioria dos estudantes procura por essa opção de estudo.

Este artigo foi útil para você? Você sabia que o professor Hygor Duarte tem utilizado vídeoaulas e outros recursos para fazer o aluno conquistar a certificação logo de primeira?

Se o seu desafio hoje é conquistar uma certificação Anbima, clique abaixo nos links dos cursos disponíveis da #CPANAVEIA:

Mas se você ainda tem dúvidas e quer conhecer melhor a metodologia antes de se matricular, participe de graça dos grupos de estudos do WhatsApp.

É só mandar uma mensagem para:

WhatsApp:  (15) 99128-2672

Deixe sua nota!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *